Encontro de Cultura de Raiz acontece em Lagoa Santa

LAPINHA – MUSEU VIVO NO MÊS DA ABOLIÇÃO
6º ENCONTRO DE CULTURA DE RAIZ


Entre os dias 22 e 24 de maio acontecerá a sexta edição do Encontro de Cultura de Raiz “LAPINHA – Museu Vivo no mês da Abolição”, no município de Lagoa Santa, região metropolitana de BH. Nestes três dias o Teatro de Arena da Praça Dr. Lund, o Areão, a Igreja Nossa Senhora do Rosário e a Gruta da Lapinha serão cenário valorização e divulgação da Capoeira Angola e das manifestações culturais populares de raiz, como o congado, o candombe, a dança-afro e o boi da manta.
O “LAPINHA Museu Vivo no mês da Abolição” é o único evento do gênero no Estado, envolvendo mais de 300 agentes culturais da região metropolitana, com um público de mais de 1,5 mil pessoas por edição. Ele foi criado para promover para a população local o acesso à uma programação diversificada de cultura de raiz. Assim, durante os três dias do encontro, crianças e jovens de escolas públicas, e a população em geral, terão aulas gratuitas de capoeira angola, teatro, percussão, dança afro e educação ambiental.
Anualmente o evento vem provando a importância da valorização da cultura popular e regional como um grande instrumento para a formação de cidadãos socialmente comprometidos. O encontro foi idealizado e realizado pela primeira vez em 2004 e é uma realização da Associação Cultural Eu Sou Angoleiro (Acesa), com a coordenação geral do Mestre João Angoleiro. A produção do evento fica por conta da frente de trabalho da Acesa “Irmandade Atores da Pândega”, de Lagoa Santa, coordenada pelo treinel Gersino Alves.
MANIFESTAÇÕES CULTURAIS – PROGRAMAÇÃO
Com uma programação eclética com shows de reggae, rap, samba e exibição de vídeos, o "Lapinha Museu Vivo" tem um público médio de mais de duas mil pessoas por edição. Um dos destaques do evento é a valorização da tradição oral e das trocas de saberes entre os mestres populares locais e mestres convidados de outros estados. Neste ano convidamos Mestre Moraes (Grupo Capoeira Angola Pelourinho- Gcap - Salvador/BA – responsável pela difusão da capoeira angola no Brasil a partir da década de 70), Mestre Manoel (Grupo Ypiranga de Pastinha – Conglomerado da Maré- Rio de Janeiro/RJ) e Mestre Gil Velho (Grupo Senzala- RJ). Também está confirmada a presença dos mestres mineiros Mestre Dunga e Márcio Alexandre (precursores da capoeira em Minas Gerais) além dos Mestres do Mamg (Movimento Angoleiro de Minas Gerais), do Candombe de Dona Mercês (Comunidade do Açude - Serra do Cipó) e da Mata do Tição (Jaboticatubas), os Reinados de Congo de Nossa Senhora do Rosário (da Lapinha) e o divertido e tradicional Boi da Manta, que mexe com toda a criançada.

Uma semana antes do Evento (18 a 22 de maio) os capoeiristas, pesquisadores e educadores da Acesa estarão realizando nas escolas públicas de Lagoa Santa diversas oficinas atendendo 1.500 alunos, essas atividades serão acompanhadas também com uma oficina voltada para professores, supervisores e diretores das escolas discutindo a importância das manifestações culturais na Construção da Identidade do povo brasileiro, atendendo também a Lei 11.645/07 ensino da história africana e afro-brasileira e indígena nas escolas.
Outro destaque está para Mostra FórumDoc.MG: 2ª mostra itinerante do filme documentário e etnográfico. Neste ano a Mostra traz os mais expressivos filmes produzidos sobre a temática indígena e negra, como “O casamento de Gina” (de Martin Marden, Nova Guiné) e “Os Mestres Loucos” (de Jean Rouch, França) e faz também a pré-estréia do documentário “Paz no Mundo Camará a Capoeira Angola e a volta que o mundo dá- Minas Gerais” (de Carem Abreu, produzido pela ATOS Central de Imagens em parceria com a Associação Cultural Eu Sou Angoleiro).
SERVIÇO:
Evento: "Lapinha Museu Vivo no Mês da Abolição: 6º Encontro de Cultura de Raiz"
Data: 22 a 24 de maio em Lagoa Santa
Local: Praça Central de Lagoa Santa (Dr. Lund), Areão, Gruta da Lapinha e Igreja Nossa Senhora do Rosário/Lapinha.
Realização: Associação Cultural Eu Sou Angoleiro (Acesa)
Inscrição: Sede da Acesa em BH – Rua da Bahia, 570 – 12º andar – Belo Horizonte/MG ou Site www.eusouangoleiro.org.br
Valor: R$ 35,00 (TRINTA CINCO REAIS) OU R$ 50,00 (CINQUENTA REAIS) (3 DIAS COM ALIMENTAÇÃO, OFICINAS, CAMPING, SHOWS + CAMISA).
Sede da Acesa em Lagoa Santa: Rua Melo Viana,420 B. Várzea - Lagoa Santa.
Informações: (31) 4063-9822 (FIXO) / (31) 88136692 (Gersino Alves), (31) 99982756 (Rosângela Silva) (31) e 93271557 (Matheus)
ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO – Júnia Bertolino (0011097/MG) - (31) 99176762, Carem Abreu (31) 9297-1582/ 9751-6869 ,Luiz Gabriel Lopes (9791 4493),Daniel Iglesias e Liliane Martins (31) 8884-7476
LINKS PARA O EVENTO:
PROGRAMAÇÃO
DE 18 A 21 DE MAIO
“LAPINHA NA ESCOLA" - PRÉ LAPINHA MUSEU VIVO NO MÊS DA ABOLIÇÃO
Local: Escola Municipal Prof. Mello Teixeira, UNIPAC/Escola Doutor Lund, Escola Municipal Herculano Liberato e Gruta da Lapinha
Horários: variados – conferir programação da Mostra FórumDoc, anexa.
Eventos: oficinas de capoeira angola, dança afro, percussão, Meio Ambiente e mostra de vídeos nas escolas e na Gruta da Lapinha.
18 de maio - segunda-feira
19hs – Duas aldeias, uma caminhada
Escola Municipal Prof. Mello Teixeira - Bairro Santos Dummond
19 de maio - terça-feira
19h - O casamento de Gina
UNIPAC/Escola Doutor Lund - Bairro Centro
20 de maio - quarta-feira
19h - Casca do chão
Escola Municipal Herculano Liberato - Bairro Aeronautas
21 de maio - quinta-feira
10h - Vai ou racha, 20 anos de luta + Vamos à luta
Escola Estadual Cecília Dolabella Portela Azeredo irro Várzea
DE 22 A 24 DE MAIO
LAPINHA MUSEU VIVO NO MÊS DA ABOLIÇÃO: 6º ENCONTRO DE CULTURA DE RAIZ
SEXTA-FEIRA - 22/05
ABERTURA
16h - Concentração na Praça Dr. Lund - Roda de Capoeira Angola
Centro – Lagoa Santa
18h - Cortejo
Saída: Praça Dr. Lund, sentido bairro Várzea.
Av. Getúlio Vargas, entre Rua Aquileu de Oliveira e Rua Tíbério Batista – Areão.
Participação de diversos grupos culturais, entidades e movimentos sociais.
19h - Mostra FórumDoc e shows
Exibição Crioulo doido -Areão - Bairro Várzea
SÁBADO - 23/05
9h - Oficinas e roda de conversa
Gruta da Lapinha - Lagoa Santa
18h - Shows
OCA - Tenda Armada
Rua do Rosário - 425
Próximo à Igreja de Nossa Senhora do Rosário - Lapinha - Lagoa Santa
19h - Mostra FórumDoc
Pré-estréia do filme
“Paz no Mundo Camará: a capoeira angola e a volta que o mundo dá - Minas Gerais”
Mestres Loucos
DOMINGO - 24/05
9h - Recepção das Guardas de Congo e Moçambique e dos Grupos de Candombe
Oficina com Mestre Moraes - Salvador/BA
Roda de conversa - Roda de Capoeira Angola
Igreja de Nossa Senhora do Rosário
Rua do Rosário - Lapinha - Lagoa Santa
Encerramento
QUEM SOMOS: A Acesa realiza em Belo Horizonte desde 1993 trabalhos de formação nas áreas de capoeira angola, dança afro, percussão e teatro com atividades nas 15 frentes de trabalho (Centro, Vila Acaba Mundo, Morro do Cascalho, Santa Tereza, Barro Preto, Pampulha, Santa Luzia, Jardim Canadá, Contagem, Betim, Ibirité, Lagoa Santa, Nova Lima, Codisburgo, Ribeirão das Neves e Coronel Fabriciano), atendendo mais de 300 alunos.
O QUE ACONTECE NO LAPINHA MUSEU VIVO : O encontro visa a valorização do patrimônio imaterial brasileiro através do intercâmbio cultural promovido entre grandes mestres da tradição oral. Assim, o evento tem trazido para Minas grandes mestres da Capoeira Angola, como os baianos e alunos diretos de Mestre Pastinha, Gildo Alfinete e Boca Rica (representantes da Associação Brasileira de Capoeira Angola) e João Pequeno (Academia João Pequeno de Pastinha, guardião da Capoeira Angola neste século). Esse intercâmbio promove a troca de experiências e saberes com outros mestres da Capoeira Angola e de outras manifestações culturais do Estado, como Dona Mercês do Candombe e Dona Isabel, Rainha Conga de Minas Gerais, do Reinado de Nossa Senhora do Rosário.
MOSTRA FÓRUMDOC.MG: A proposta do Forumdoc.mg - mostra itinerante do filme documentário e etnográfico - surgiu não apenas de uma vontade, mas da urgência em ampliar e democratizar o acesso à cultura em Minas Gerais. Há alguns anos a equipe do forumdoc.bh e a equipe do Encontro de Cultura de Raiz firmam parceria, com exibições de filmes que aprofundam e diversi­ficam os pontos de debate sobre os modos da “cultura”. A parceria este ano está mais planejada, contudo sem perder aquilo que a gerou: a possibilidade de pensar uma atuação cultural alheia à lógica utilitária e mercantil. A mostra não está limitada à exibição dos filmes, ela é permeada por debates que serve como estímulo à reflexão.

Teimosia