2ª Mostra do Filme Ambiental e Etnográfico de Rio das Ostras

Convite_abertura

Realizadores do documentário ‘Quilombo’, rodado em Casimiro de Abreu, e a presidente da Fundação Cultural do município, Sônia Cardoso, participarão de debate durante a 2ª Mostra do Filme Ambiental e Etnográfico de Rio das Ostras

Após o debate, dois curtas e um longa serão exibidos para o público

O feriado de 20 de novembro, Dia da Consciência Negra – terá uma programação especial dentro das atividades da 2ª Mostra do Filme Ambiental e Etnográfico de Rio das Ostras. Nesse dia, às 17h00, haverá um debate aberto ao público, com a equipe de realização do documentário Quilombo, gravado no município de Casimiro de Abreu. A presidente da Fundação Cultural de Casimiro de Abreu, Sônia Cardoso, também participará, comentando as ações culturais promovidas pela administração pública na cidade, com ênfase para os projetos relacionados ao audiovisual, uma vez que Casimiro tem hoje, funcionando plenamente, uma sala de cinema, a qual leva o nome de um dos mais ilustres representantes da cinematografia nacional; o chamado ‘pai do cinema brasileiro’, Humberto Mauro.

Após o debate, o público assistirá os curtas Giro São Lázaro, dirigido por Marise Berta e produção da TV da Faculdade de Tecnologia e Ciências da Bahia, e o documentário Agenda socioambiental de comunidades quilombolas do Vale do Ribeira, produção finalizada este ano, realizada através do Instituto Socioambiental e ISA – Programa Vale do Ribeira.

Encerrando a sessão de filmes, será exibido o longa-metragem Para ver a umbanda passar, produção do Paraná (Curitiba), lançada ano passado. O filme de Luciano Coelho baseia-se na pesquisa “Pra ver a umbanda passar: do esquecimento à lembrança – levantamento e mapeamento dos terreiros umbandistas em Curitiba, como elementos construtivos da memória cultural da cidade”. O documentário acompanha o trabalho de oito centros umbandistas de Curitiba, retratando suas diferenças, identidades e um pouco da história de vida de seus líderes.

O filme Quilombo

O documentário tem como base a pesquisa monográfica da historiadora da Fundação Cultural Casimiro de Abreu, Renata Azevedo Lima, intitulada “Quilombos: a resistência escrava no Rio de Janeiro do século XIX”. A pesquisa reúne um conjunto de fontes primárias encontradas na Biblioteca Nacional (RJ), Arquivo Pró-Memória de Nova Friburgo e Associação Friboug-Nova Friburgo (Suíça), provando que houve quilombos em Casimiro de Abreu, pelo menos na década de 1820.

Segundo a historiadora, “o projeto visa divulgar a existência de quilombos no município de Casimiro de Abreu, analisando o impacto deste tipo de resistência escrava na sociedade brasileira do século XIX. A importância desta temática é constatada na relevância do estudo da escravidão na História do Brasil. Cerca de 350 anos da nossa história, ou seja, três quartos dela ocorreram sob a vigência da escravidão, que deixou marcas profundas nas instituições sociais de hoje”.

Na equipe de realização do filme estão: Nina Tedesco, cineasta formada pela Universidade Federal Fluminense (UFF), mestranda do Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Geografia da Universidade Federal Fluminense; Jaqueline Fernandes, historiadora e professora de história formada pela UFF, Daniel Teixeira, professor de história da rede estadual de ensino do Rio de Janeiro e historiador formado pela UFF, mestrando do programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), e Joyce Martins, estudante de graduação de Matemática da Universidade Federal Fluminense.

Leia a sinopse do filme Quilombo

O filme investiga uma localidade na região serrana do município de Casimiro de Abreu (RJ) chamada “Quilombo”. O acesso é difícil, estrada de chão sinuosa e esburacada, com altitude mínima de cerca de 700m, abundância de água e terra fértil. Chegando lá, não encontramos nenhum negro, apenas descendentes de colonos suíços. A questão 'o nome do local tem relação com o passado de resistência dos escravos?' é o fio condutor do filme, que reúne entrevistas com moradores e ex-moradores do Quilombo, moradores da cidade de Casimiro e historiadores, além de belíssimas imagens da natureza do local, imagens de mapas e manuscritos sobre a região, produzidos no início do século XIX, e ruínas arqueológicas.

O debate e a exibição dos filmes serão realizados na Praça São Pedro, no Centro.

Toda a programação da 2ª Mostra do Filme Ambiental e Etnográfico de Rio das Ostras tem entrada franca e censura livre.

Participe!

Acompanhe nossos informativos ao longo deste mês.

Mais informações www.mfaero.blogspot.com

2ª Mostra do Filme Ambiental e Etnográfico de Rio das Ostras

Realização

Associação Cultural Cinema Popular Brasileiro

Apoio

Universidade Federal Fluminense (UFF), Pólo Universitário de Rio das Ostras (PURO), Pró-Reitoria de Extensão (PROEX) e Prefeitura de Rio das Ostras.

Apoio Cultural

Restaurante Picanha da Praia

Pousada das Tartarugas

Rancho da Pedra

Padaria Encanto da Lagoa

Yes Cosméticos Rio das Ostras

ProMark Comunicação Visual

Gráfica Systema RO

Papelaria Principal

Gráfica do Clube.

Parceiros

CineRitz Holiday

Shopping Holiday

Núcleo Artes, Terapias e Ofícios

Oficina de Fotografia Papo Fotográfico

Fundação Cultural de Quissamã

Fundação Cultural Casimiro de Abreu

Secretaria Municipal de Cultura de Macuco

Divulgação

Correio Regional Online

Jornal da Cidade

Participe!

Um abraço

Leonor Bianchi

ImprensaBR Assessoria de Comunicação

imprensabr@gmail.com

22 99039733

229987-6908